Plataforma na web ajuda a denunciar falhas no transporte público, em calçadas e ciclovias

Os problemas enfrentados por quem utiliza transporte público, calçadas e ciclovias nas cidades agora podem ser denunciados por meio de uma plataforma desenvolvida especialmente para essa finalidade. A ferramenta, disponibilizada pela ONG Mobilize, em parceria com a Cidadera, foi desenvolvida por estudantes da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos) e pela USP (Universidade de São Paulo).

Qualquer pessoa pode registrar os problemas e as irregularidades. “Com isso, tentamos envolver a sociedade, cobrar o poder público e disponibilizar as informações para a imprensa, como forma de pressão por soluções”, explica um dos desenvolvedores da plataforma e coordenador da campanha Sinalize, Eduardo Dias.

Como funciona

Se o cidadão identificar, por exemplo, um buraco na calçada, algum objeto obstruindo a passagem de pedestres ou ciclistas, falhas na sinalização, poderá acessar o Mobilize no celular, tablet ou computador e registrar a manifestação. Se possível, é indicado, também, colocar imagens do local.

O sistema irá lançar a ocorrência em um mapa do Google, deixando a reclamação disponível on-line para o público. Assim, outras pessoas também poderão comentar e colaborar com mais informações sobre a reclamação. Depois, as informações serão repassadas, periodicamente, por meio de relatórios, para as administrações locais. Se o problema for solucionado, a resolução também pode ser informada no aplicativo.

“Isso é uma forma de demonstrar que essa é uma demanda da sociedade porque a gente sabe que não existe transformação sem a participação das pessoas. A partir do momento que conseguimos envolver a sociedade, temos legitimidade na nossa ação”, explica Eduardo. Ele fala, ainda, que a participação virtual, pela internet, é simples, mas é uma atitude que pode ajudar a resolver problemas que existem nas cidades. “Às vezes, torna-se até possível mostrar problemas que as prefeituras têm mais dificuldade para acessar”, complementa.

A plataforma está disponível no site www.mobilize.org.br/mobilize-se.

Natália Pianegonda

Agência CNT de Notícias